sexta-feira, 25 de setembro de 2009

TEXTO: V Festival Internacional de Trovadores e Repentistas começa nesta quinta (24) em Limoeiro do Norte

O festival vai até domingo (27) com seminários e atrações musicais do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Cuba e Itália.

Tem início nesta quinta-feira, 24, um grande encontro de poesia popular nacional e internacional. Trata-se do Festival Internacional de Trovadores e Repentistas, que chega a sua quinta edição tendo como palco a Praça da Matriz de Limoeiro do Norte (200 km de Fortaleza). Até domingo, 27, os sons das violas, das cantorias e dos repentes vão entoar a cidade conhecida como Princesa do Vale, que recebe pela segunda vez este festival.



O evento vai reunir mais de cinquenta artistas do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Piauí, entre violeiros, poetas, repentistas, emboladores e aboiadores, além de dois trovadores de Roma e dois de Cuba, que se apresentam em palco aberto aos moradores do Baixo Jaguaribe. No total, 24 duplas de cantadores se apresentam no período do festival, além de nomes como Luizinho de Irauçuba (CE), Betinho Aguiar (CE), Myrlla Muniz (CE) e a cirandeira Lia de Itamaracá (PE).

A abertura na quinta-feira será às 20h, com a presença de autoridades e homenagens a personalidades importantes para a cultura local. A programação musical traz atrações regionais, festival de violas com as duplas Zé Ricardo (CE) e Raimundo Mesquita (CE); Guilherme Calixto (CE) e Valdir de Lima (CE); João de Oliveira (CE) e Sebastião Gomes (CE); Zé Morais (CE) e Zé Monte (CE); Miro Pereira (RN) e Ismael Pereira (RN); Zé Cardoso (RN) e Moacir Laurentino (PB); e recital de poesia aboios e emboladas com Beija Flor (CE) e Vem Vem (CE) e Geraldo Gonçalves (CE), sobrinho de Patativa do Assaré. Em seguida estreiam no palco do Festival a dupla de trovadores italianos Donato de Acutis e Enrico Rustici. Para encerrar a primeira noite, a animação do Forró Cacimba de Aluá (CE).

Na sexta-feira, 25, as apresentações musicais começam às 20h, com o Grupo Sabiá (CE). O festival de violas vai contar com as duplas Antonio Nilo (CE) e Chico Celestino (CE); Chico Sobrinho (CE) e Nonato de Cascavel (CE); J.Gomes (CE) e Geraldo Brito (CE); Silvio Granjeiro (CE) e Francinaldo Oliveira (PE); Valdir Teles (PE) e João Paraibano (PB); Zé Viola (RN) e Sebastião da Silva (PB). Larissa Macedo (CE) sobe ao palco para recital de poesias, aboios e emboladas, em seguida o trovador cubano Gaspar Esquivel faz sua estreia no Festival Internacional de Trovadores e Repentistas. Luizinho de Irauçuba fecha a segunda noite do evento.

Com o Som das Carnaubeiras (CE), a programação musical de sábado, 26, se inicia. Em seguida o palco será dos violeiros Roberto Macena e Critovon Pinto (CE); Zé Vincente e Zé Eufrázio (CE); Louro Branco (CE) e Josival Viana (PB); Paulo Pereira e Genaldo Pereira (CE); João Lourenço (PB) e Severino Feitosa (PE); Ivanildo Vila Nova (PE) e Raimundo Caetano (PB). O pequeno Betinho Aguiar se apresenta logo depois do festival de violas, antes da apresentação dos trovadores italianos Donato de Acutis e Enrico Rustici. A cantora e instrumentista Myrlla Muniz traz seu show “Romanceiro do Sertão”, encerrando a noite.

A última noite do festival, no domingo, 26, começa com a apresentação da Banda Cabaçal PE e Cícero (CE). As duplas de repentistas que se apresentam nesta noite são: João Lourenço (PB) e Severino Feitosa (PE); Zé Cardoso (CE) e Moacir Laurentino (PB); Valdir Telles e João Paraibano (PE); Zé Viola (RN) e Sebastião da Silva (PB); Ivanildo Vila Nova (PE) e Raimundo Caetano (PB). Dina Vaqueira (CE) sobe ao palco para o recital de aboio e Gaspar Esquivel (Cuba) se apresenta novamente. A cirandeira pernambucana Lia de Itamaracá encerra o V Festival Internacional de Trovadores e Repentistas.

Homenagens
Nesta edição, o festival presta homenagens a pessoas que deram sua contribuição para a cultura popular, como o deputado Aldo Rebelo, o secretário adjunto da Secretaria de Cultura de Pacatuba Luiz Emanuel Pereira Monteiro, o repentista paraibano Chico Mota, o presidente do Bando do Nordeste Roberto Smith, entre outros. No total, onze personalidades receberão homenagem e serão agraciadas com troféu.

Seminário
Durante os quatro dias, a programação começa de manhã com o “Seminário Vozes de Mestres: a palavra (en)cantada na cultura oral nordestina”, onde se reúnem pesquisadores e artistas para discutir a cultura popular no contexto das manifestações orais. Sob a curadoria da professora doutora e Secretária da Comissão Nacional de Folclore Simone Oliveira de Castro, o seminário propõe um debate sobre a importância da oralidade, da palavra oral na cultura nordestina, através das vozes dos diferentes mestres e suas linguagens, seja na cantoria, na embolada, na poesia matuta ou no cordel, expressão dessa oralidade no impresso.

Neste debate, estarão presentes tanto os pesquisadores quanto os criadores dessas artes/linguagens, contando a visão e a experiência de cada um, seja a acadêmica, seja a artística. Entre os artistas, o poeta Geraldo Gonçalves, sobrinho de Patativa do Assaré; o poeta cordelista Rouxinol do Rinaré, cujo trabalho é conhecido internacionalmente e figura como membro da Academia Brasileira de Cordel e Beija Flor, que há 20 anos se dedica à poesia e ao repente.

Entre os pesquisadores, prof. Dr. Luiz Tadeu Feitosa, autor da tese “Patativa do Assaré: a trajetória de um canto”; a prof. Francisca Pereira dos Santos – Fanka (CE), doutora em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Paraíba – UFPB; o prof. Nenen Patriota (PE), poeta cordelista e pesquisador da cultura popular; e o professor italiano Paolo Scarnecchia, pesquisador da cultura brasileira.

“Propus os temas, mas os participantes trarão o saber da experiência expressa nas diferentes formas de conhecimento que encontramos na academia e na vivência cotidiana do artista/criador”, completa a professora doutora Simone de Castro. A entrada para o seminário é franca e aberta ao público.

Histórico do Festival
Segundo o idealizador do evento, o cineasta Rosemberg Cariry, o Festival Internacional de Trovadores e Repentistas defende a "diversidade e a reciprocidade" e propõe o verdadeiro e benéfico significado da palavra universalização: o eterno reencontro dos homens e suas aldeias com as suas raízes universais. A cantoria, segundo Cariry influi em diversos gêneros da poética popular do Nordeste, que tem em comum a herança multissecular dos cantadores, elementos determinantes na preservação das tradições culturais de todos os povos do mundo. Tal estilo poético influenciou de forma determinante o lirismo difundido pelos portugueses ao chegarem ao país no século XVI.

Lançado em 2005, o festival teve as duas primeiras edições simultaneamente em Quixadá e Quixeramobim. Em 2007 seguiu para Senador Pompeu e Farias Brito e desde 2008 leva aos moradores da região do Baixo Jaguaribe a riqueza destas artes populares, contribuindo para a valorização, fortalecimento e preservação das culturas populares regionais tradicionais.

Sob a coordenação do cantador repentista Geraldo Amancio, a quinta edição do Festival Internacional de Trovadores e Repentistas é uma realização do Instituto Internacional de Artes e Cantorias (Intercanto), com patrocínio do Banco do Nordeste, Chesf e Oi, apoio institucional da Prefeitura Municipal de Limoeiro do Norte, Sebrae, Ministério da Cultura via Lei Rouanet, Governo do Estado via Lei Estadual de Incentivo à Cultura, UECE e apoio cultural do Oi Futuro e da Academia Limoeirense de Letras, promoção da Tv Diário e realização do INTERCANTO e J.A.Lima.

Limoeiro do Norte
Limoeiro do Norte é conhecida como “Princesa do Vale”, por estar situada entre os rios Jaguaribe e Banabuiú, no Baixo Jaguaribe. Segundo o Censo 2005, o município possui 55.474 habitantes. Com clima predominantemente seco, que varia de 24º a 35ºC, Limoeiro do Norte conta com duas estações bem definidas: verão chuvoso e inverno seco. O intenso fluxo diário de pessoas aquece o setor de comércio, que vai de produtos alimentícios às indústrias de pré-moldados para construção civil. Outra atividade econômica que prevalece em Limoeiro é a agricultura, que movimenta anualmente cerca de R$ 50 milhões de reais. O município é, por exemplo, o maior exportador de melão do Brasil. Limoeiro também se destaca na pecuária, com produção diária de 45 mil litros de leite de gado. Além disso, a cidade é conhecida pelo artesanato local, com peças produzidas da matéria rústica do barro, da palha e do talo da carnaúba, panos, coco e até ferro velho.

Saiba Mais
O cantador de viola pode ser chamado de repentista e também de violeiro, pois ele improvisa, faz repente ao som da viola. O debate ferrenho que sempre acontece entre dois repentistas se chama Desafio. O embolador também pode fazer repente só que é uma rítmica bem diferente, pois utiliza o pandeiro e nem sempre improvisa. Os aboiadores usam apenas a voz para aboiar. O aboio, usualmente, era uma espécie de cantiga de trabalho que o vaqueiro aboiador utilizava para conduzir e acalmar o gado. A trova é uma estrofe composta de quatro versos.

SERVIÇO:
V Festival Internacional de Trovadores e Repentistas
De 24 a 27 de Setembro – Praça da Matriz de Limoeiro do Norte (Ce)
Informações: (85) 3226 0751
Programação gratuita

Postado por MÁRIO OLIVEIRA às 20:21:00

Fonte: Noticias do Vale

Um comentário:

o que você achou????